Nevoa Networks: a startup brasileira que desafia multinacionais de storage

Blog Deixe seu comentário - Leave a comment  

desafio

Apesar de estar há cinco anos no mercado, a empresa se define ainda como uma startup, o que pode trazer diversas vantagens.

Os amigos Fábio Gomes Ferreira e Hunter Hagewood pensavam em trabalhar juntos desde 1990. Mas só em 2005 conseguiram fundar a Nevoa Networks, pois no início dos anos 2000, Fábio ainda morava em Campinas, no interior de São Paulo, e Hunter, em Knoxville, no Tennessee. Além disso, em 94, Hunter voltou para os EUA para continuar os estudos e só voltou ao Brasil em 2003.

“Foi nesse momento que começamos a conversar sobre algumas ideias de negócio baseados nos últimos trabalhos que Hunter havia desenvolvido no centro de pesquisa do Tennessee, chamado Logistical Computing and Internetworking Lab, ou LoCI”, conta Fábio Ferreira, especialista em Gestão de Projetos e pós-graduado em Gestão de Tecnologia da Informação.

“Ainda temos o espírito de uma startup. As decisões são rápidas e ágeis, as mudanças são constantes e as dificuldades são muitas”

Dois anos mais tarde, Fábio e Hunter iniciaram a empresa da maneira que muitos empreendedores fazem, com pouquíssimos funcionários: um programador e uma assistente administrativa. “Nessa época, nosso perfil era de uma startup típica de garagem. Tínhamos nosso escritório no porão de um prédio de igreja, em uma das principais avenidas de João Pessoa. Atualmente, apesar de não estarmos mais nesse porão, ainda temos o espírito de uma startup. As decisões são rápidas e ágeis, as mudanças são constantes e as dificuldades são muitas”, declara Fábio.

Para manter as contas da nova empresa pagas, Fábio se mantinha bem longe de João Pessoa, empregado na Santista Têxtil, em São Paulo, trabalhando na implantação de um sistema de ERP. Aos poucos, Fábio e Hunter foram conquistando espaço e assim aumentando a necessidade de contratar novos funcionários.

“O custo de aquisição é de 40% a 60% mais viáveis que soluções apresentadas pelos atuais players do mercado de storage, normalmente enormes empresas multinacionais de origem norte americana”

A Nevoa desenvolveu sua própria tecnologia de virtualização de storage, batizado de NSS ou Nevoa Storage System. Através dele, é possível atender quaisquer demandas de storage inclusive com extensão nativa com storage em nuvem. A tecnologia emula operações RAID e também possui características somente presentes em placas HBA de soluções baseadas em protocolos proprietários em fibra óptica. Além disso, por ser solução em software, o custo de aquisição é de 40% a 60% mais viáveis que soluções apresentadas pelos atuais players do mercado de storage, normalmente enormes empresas multinacionais de origem norte americana. Essa abordagem rapidamente chamou a atenção de empresas com demandas enormes de espaço, principalmente ligadas a Pesquisa e Desenvolvimento e Governo.

“No início da Nevoa Networks, nos mantínhamos, além do dinheiro dos sócios, com um contrato de serviços com a Universidade Vanderbilt, nos EUA. Em 2006, participamos de um projeto para a RNP (Rede Nacional de Pesquisas) em conjunto com a Universidade de São Paulo (USP) chamado “Disco Virtual Nacional” e passamos a ter quatro funcionários. Em 2007, contratamos mais um programador e a Sun Microsystems nos ajudou com mais dois bolsistas, aumentando nosso número para sete. Em 2008, fizemos nossa primeira venda para o Instituto Osvaldo Cruz (IOC). Em seguida, um projeto que havíamos submetido para a FINEP foi aprovado, e com isso nossa equipe deu um salto para 12 pessoas”, relata Fábio.

Proteção de Propriedade Intelectual

A Nevoa Networks acabou de obter as patentes de duas técnicas de armazenagem de dados. “Uma das técnicas patenteadas faz com que um mesmo drive de rede possa ser dinamicamente mapeado para vários servidores de armazenamento, com o objetivo de permitir o trabalho no gerenciamento do sistema sem a necessidade de interrupção da atividade de dados em andamento.

Já a outra técnica tem impacto nos administradores que preparam recursos de armazenamento para receber dados. A estratégia previne a perda de informações, com utilização da tecnologia RAID, e permite o acesso a arquivos mesmo quando há uma falha de disco. Como diferencial, a solução permite que a estratégia de RAID seja associada ao usuário ou software de gestão, ao invés do disco. Assim, diferentes usuários podem gravar dados nos mesmos discos com tecnologia de confiabilidade personalizada”, explica Fábio.

Sinceridade nas negociações

Antes de fechar negócio com o cliente, a Nevoa Networks se preocupa em analisar se ela é realmente a melhor opção para a solução daquele projeto. “Normalmente, nossos projetos são consultivos e nosso setor comercial inicia as negociações com o cliente. Dado o nível de inovação de nossas soluções, muitas vezes a equipe técnica é envolvida nessa fase, a fim de apresentar os conceitos e fazer o levantamento de necessidades. Na maioria das vezes, uma instalação de prova de conceito é agendada para a avaliação do cliente. Quando percebemos que ele não conseguirá extrair tanta vantagem de nossa solução o que acontece principalmente com clientes que conseguem resolver suas demandas com opções tradicionais de storage de até 4 TB, indicamos as melhores opções do mercado para soluções desse porte”, declara Fábio.

Empreendedores-Nevoa

Se o projeto puder ser atendido pela Nevoa Networks, treinar o cliente é uma das principais preocupações da empresa. “Uma vez que exista sinergia entre nossa proposta e a necessidade do cliente, nossa equipe técnica faz um treinamento para a equipe do cliente, relacionado ao tema de redes de logística de dados e explica, detalhadamente, como o NSS funciona. O NSS é instalado no cliente e, a partir de então, nossa equipe de suporte fica à disposição dele”.

Após a conclusão de um projeto, a Nevoa Networks mantém uma política de acompanhamento do cliente. “Por se tratar de uma tecnologia nova e existir uma forte quebra de paradigmas com nossa tecnologia, existe uma curva de aprendizagem por parte da equipe interna de TI. Para o usuário final dos serviços de TI, nada muda em relação ao que ele já está acostumado no dia a dia. Normalmente essa curva de aprendizagem da equipe de TI traz mais benefícios do que ‘dores’. Isso fica especialmente interessante de notar logo na fase de pré-vendas. A equipe de TI do potencial cliente, em pouco tempo, consegue ‘sacar’ os ganhos que a tecnologia traz para os negócios e acaba sendo nossa principal parceira de vendas dentro das empresas. Uma vez que o negócio é concretizado, essa equipe é acompanhada pelo suporte da Nevoa. Já houve casos de mudanças em nossos produtos que foram fruto de feedback de nossos clientes”, explica.

Quando a demanda por serviços é maior do que a capacidade de oferta da Nevoa Networks, a empresa entra em contato com parceiros. “A Nevoa tem reestruturado a abordagem de vendas, através de parcerias com empresas que já possuem serviços em data centers, como hosting ou co-location. Esses parceiros têm uma equipe de suporte maior e condições de oferecer um serviço de suporte melhor ao cliente final do que a equipe da Nevoa poderia oferecer. Atualmente, a Nevoa não teria condições de atender a mais de dez clientes ao mesmo tempo, uma vez que a equipe é enxuta. Não tivemos um caso em que isso seria um problema, já que o perfil do cliente, para nossos produtos, não é aquela empresa pequena que precisa de um sistema pequeno de backup, mas a empresa média ou grande, ou mesmo uma pequena que tenha grandes necessidades de espaço e que tenha que migrar, transformar e acessar conteúdos dispersos em grande quantidade. Para os demais casos que nós não atendemos diretamente, nossos parceiros têm condições de atender os clientes segundo os SLA’s contratados”, diz.

Desafios e superações

A Nevoa tem como clientes os já citados Universidade Vanderbilt, nos EUA, a Rede Nacional de Pesquisa (RNP) e o Instituto Osvaldo Cruz (IOC). Além destes, há outros grandes clientes, como o Sebrae-PB, o Centro Universitário de João Pessoa (UNIPÊ), o Consórcio REDDNET (Research and Education Data Depot Network), nos EUA, e a CODATA (Companhia de Processamento de Dados da Paraíba), para os quais desenvolveu projetos bastante desafiadores.

“Participam do projeto onze instituições geograficamente dispersas pelo globo, e é utilizado, entre outras aplicações, como um dos armazéns de dados do experimento LHC dos laboratórios do CERN localizado entre a França e Suíça”

“Sem dúvida, o projeto mais desafiador para a Nevoa é nossa participação no Consórcio REDDNET, no qual somos uma das principais instituições que suportam o projeto. No Brasil, o Consórcio ainda conta com instituições como a USP e a UERJ. Ele é desafiador porque utiliza o Nevoa StorCore e, em alguns pontos, o Nevoa StorPort, para administrar uma rede internacional para pesquisa e educação, com 700 milhões de megabytes (700 terabytes), usados por centenas de usuários para transmissão de vídeo, replicação estratégica de dados e armazenamento de dados. Participamos de forma ativa, uma vez que, de tempos em tempos, novas versões de nosso software suportam novas funcionalidades do sistema. Para isso, especialistas, doutores em suas áreas, compõem a equipe nos EUA. Até o momento, mais 2,4 petabytes foram movimentados pelo sistema em quatro anos após sua criação.”, relata Fábio. O sistema criado pelo Consórcio contempla uma infraestrutura de armazenamento espalhada por cinco continentes. “Participam do projeto onze instituições geograficamente dispersas pelo globo, e é utilizado, entre outras aplicações, como um dos armazéns de dados do experimento LHC dos laboratórios do CERN localizado entre a França e Suíça”.

Uma equipe pequena, porém completa

Atualmente, a equipe da Nevoa Networks é composta por nove pessoas, cinco em Recife no Porto Digital, três na França e duas em São Paulo. São engenheiros de software e programadores formados em Ciência da Computação, dois pesquisadores da área de sistemas distribuídos com especial foco em armazenamento de dados, e dois doutores na equipe da França, além de um gerente de projetos e um mestre em computação.

Equipe-Nevoa

“Escolhemos a equipe baseados em poucos critérios: formação em computação, humildade e comprometimento com resultados. De todos, na minha opinião, o mais importante é a humildade, pois a pessoa terá que aprender. Se ela acredita que já sabe tudo sobre temas como armazenamento de dados, computação distribuída e computação paralela, fica difícil apresentar os conceitos que abordamos e ela acaba sendo um grande empecilho para a equipe. Nossa experiência tem mostrado que leva-se de seis a doze meses para que um profissional consiga absorver os conceitos básicos de logística de rede, base de nossa tecnologia de armazenamento”, declara Fábio.

“Escolhemos a equipe baseados em poucos critérios: formação em computação, humildade e comprometimento com resultados. De todos, na minha opinião, o mais importante é a humildade, pois a pessoa terá que aprender”.

Para ele, além de ter formação em computação, comprometimento com resultados o que, na área técnica, significa ter o foco em resolução de problemas, e humildade, os candidatos devem, principalmente, gostar de desafios e do que fazem. “Queremos que as pessoas não venham apenas trabalhar na Nevoa, queremos que elas venham ser desafiadas e se divertir resolvendo os desafios”.

A Nevoa realiza reuniões mensais nas quais os funcionários avaliam a empresa, incluindo os superiores. “Chamamos essa reunião de ‘Open House’. Os superiores avaliam a performance dos funcionários em um questionário preparado pela área de Recursos Humanos. O funcionário recebe essa avaliação em uma reunião particular com os supervisores, na qual cada um tem a oportunidade de se ‘afiar’”, diz Fábio.

Segundo Fábio Ferreira, a Nevoa aposta em seus funcionários para que cresçam dentro da empresa, e investe neles, para que se especializem. “A Nevoa é uma empresa pequena, praticamente uma startup. As vantagens em empresas pequenas, no que diz respeito a crescimento, são enormes. Basta lembrar que o fundador da empresa tem a mesa ao lado da sua, e os funcionários são requisitados a participar não só da parte técnica, mas também de temas como vendas e marketing. Por isso, comprometimento com resultados é muito importante para nós. Se a empresa cresce, todos os funcionários crescem com ela, pelo menos essa é a política da Nevoa. Além da chance de crescimento dada aos funcionários, a empresa participa de parte dos custos de cursos regulares e treina internamente seus colaboradores.”

Leia mais sobre:

Nevoa Networks torna possível implantação do Projeto REDDNET em escala mundial
Empresa Brasileira registra patentes de Virtualização de Storage
White Paper: Achieving Higher Resolution Storage Fabrics Through Virtualization



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Comentários - Adicionar comentário

You must be logged in to post a comment.